11 de out de 2012

Jornal A Notícia- Caderno: VOCÊ.LEITOR

11 de outubro de 2012. | N° 1643

PEQUENOS ADMIRADORES DE TREM

por Giane Maria de Souza*

Dias atrás li uma reportagem neste jornal que o CEI Doce Infância, do bairro Nova Brasília, havia criado uma espécie de espiador/observatório de trens para as crianças da educação infantil. Como estudiosa do patrimônio ferroviário e uma profissional de educação em museus, não pude deixar de admirar e ficar encantada com a história dos pequeninos admiradores de trem.

Todos os dias, o trem passava nos trilhos das imediações do CEI e as crianças ficavam enlouquecidas, pulavam, queriam colo e ficavam na pontinha dos pés para conseguir espiar o que se avistava do outro lado do muro. As professoras perceberam o interesse e a partir daí, realizaram uma conversa com os pais, que resolveram colocar janelas de vidros temperados no interior do muro, e fizeram uma lúdica pintura no muro representando um trem e seus vagões coloridos.

Essa história ilustra que se nossos professores não fossem sensíveis e preocupados com o processo de aprendizagem, teriam deixado até hoje as crianças afoitas para ver o trem passar. Sem a organização da comunidade o observatório não existiria. Quando não há empenho nas tarefas que conduzimos diariamente, não existe trabalho orgânico, nem tampouco, comprometido. As professoras do CEI demonstraram que o trabalho desenvolvido de educação infantil deve estimular principalmente a criança a ler o mundo que vive e compreendê-lo além do muro que cerca a instituição educacional. Essa talvez seja a tarefa mais difícil, para as reais condições que se impõem nas escolas públicas com recursos reduzidos e falta de estímulo à carreira docente. Porém, a comunidade deve participar ativamente do processo político pedagógico da instituição.

Não há gestão eficiente sem a parceria de pais e professores na educação. Assim, como não há desenvolvimento psicomotor e cognitivo sem estímulo à criatividade e autonomia. Isso não vale só para os alunos, mas também para os profissionais da educação. Um professor, estimulado, feliz, capacitado que ama e principalmente acredita no que faz terá desempenho melhor, será um profissional realizado.

Ao exercitar o olhar em sua volta, as crianças percebem o mundo em que vivem. Parabéns aos professores que insistem em fazer diferente e não entendem a educação como uma padronização de ideias, interesses e vontades, mas que entendem que, a partir das janelas que criamos diariamente, possibilitamos um caleidoscópio com múltiplas cores, olhares e leituras do mundo que habitamos.

gianesc@bol.com.br

Um comentário:

Joseane S. do Amarante disse...

Muitas vezes nem nos damos conta que tudo o que fazemos gera uma repercussão social. Esta reportagem só confirma aquilo que já sabemos: o trabalho desenvolvido por todos no CEI é de excelência! Parabéns pelo empenho diário e pelo reconhecimento.